mire veja (2003)

  • Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) – melhor espetáculo
  • Prêmio Shell – categoria Especial – concepção e criação                             espetáculo em repertório

Mire veja completa, ao lado de O ó da viagem e Antigo 1850, uma trilogia sobre o homem brasileiro e algumas de suas realidades regionais e sociais. Fecha o círculo sertão-metrópole, numa livre adaptação das micro-histórias urbanas de brasileiros anônimos contadas por Luiz Ruffato em eles eram muitos cavalos. Contraponto à quimera Roseana – o sertão dentro da gente –, o espetáculo apresenta um mosaico de vidas recortadas pelo tempo impossível de São Paulo.

Ficha técnica – 2017

  • Em cena: Fernanda Haucke, Guto Togniazzolo, Pedro Pires, Vera Lamy e Zernesto Pessoa
  • Direção e dramaturgia: Pedro Pires e Zernesto Pessoa
  • Cenário: Petronio Nascimento
  • Figurinos: Marina Reis
  • Iluminação: Marinho Piacentini
  • Duração: 65′

Mire veja, nosso quinto espetáculo, estreou em março de 2003 no Teatro Paiol, em Curitiba, com Fernanda Haucke, Jonas Golfeto, Priscila Jorge, Rodrigo Gaion e Petronio Nascimento no elenco; direção musical de Julio Maluf; cenografia de Petronio Nascimento; figurinos de Marina Reis; iluminação de Marinho Piacentini e direção e dramaturgia de Pedro Pires e Zernesto Pessoa.

Salvar