mire veja (2003)

  • Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) – melhor espetáculo
  • Prêmio Shell – categoria Especial – concepção e criação

espetáculo fora de repertório

Mire veja completa, ao lado de O ó da viagem e Antigo 1850, uma trilogia sobre o homem brasileiro e algumas de suas realidades regionais e sociais. Fecha o círculo sertão-metrópole, numa livre adaptação das micro-histórias urbanas de brasileiros anônimos contadas por Luiz Ruffato em eles eram muitos cavalos. Contraponto à quimera Roseana – o sertão dentro da gente –, o espetáculo apresenta um mosaico de vidas recortadas pelo tempo impossível de São Paulo.

Mire veja, nosso quinto espetáculo, estreou em março de 2003 no Teatro Paiol, em Curitiba, com Fernanda Haucke, Jonas Golfeto, Priscila Jorge, Rodrigo Gaion e Petronio Nascimento no elenco; direção musical de Julio Maluf; cenografia de Petronio Nascimento; figurinos de Marina Reis; iluminação de Marinho Piacentini e direção e dramaturgia de Pedro Pires e Zernesto Pessoa.

Salvar