cursos e oficinas

JULHO 2018

APROXIMAÇÃO AO DISTANCIAMENTO DE B. BRECHT – com Laura Brauer

Oferecemos em julho, gratuitamente, a oficina Aproximação ao Distanciamento de B. Brecht, com a atriz e diretora argentina Laura Brauer. A atividade integra o projeto Perversidades Brasileiras (A hora do Show), contemplado pela 31ª Edição do Programa de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

A oficina

Trata-se de uma primeira abordagem teórica e prática em torno das propostas de Bertolt Brecht para o teatro, com o objetivo de gerar um espaço para a reflexão e, diante da ação conjunta, possibilitar aos participantes interações que façam o corpo pensar, deem peso à palavra e transformem o ator em interlocutor do espectador. E com as intenções de buscar o sentido do discurso para a sua realização, de fazer do palco um reflexo que permita um olhar crítico e de preparar a cena para que daí advenha a análise; e desta forma construir um teatro crítico que dialogue e não um que “diga”, que esteja à frente e não atrás de seu público.

Atividades

Exercícios brechtianos preparatórios. Encenações que estimulam o pensamento crítico. Trabalho de atuação com cenas. Análise da ação. Diálogo ator-personagem-distância. Pensamento crítico em cena. Trabalho para evidenciar contradições. Debate e problematização em torno das temáticas tratadas. Observação crítica e análise. Aproximação com o material teórico.

Conteúdo

  • Introdução. Aproximação ao distanciamento de Brecht: Primeira distância com a fábula: narração. Enunciação da ação. Trabalho de conscientização acerca das alternativas. Escolhas.
  • Teatro didático ou teatro de aprendizagem: Desmecanização do corpo e postura ideológica. Exploração de outras possibilidades expressivas. O que se quer ensinar? Exploração de meios para pôr em cena aquilo que se escolheu como primordial.
  • Teatro épico. Abordagens rumo a um teatro dialético: Mostrar e evidenciar a alienação e a liberdade de cada personagem. Busca do ponto de vista “historicizante”. Conscientização do que se faz para desnaturalizá-lo como inamovível e inquestionável. Não se trata de simplificar a caracterização, mas de desdobrar a contradição. Distanciamento. Sempre em primeira pessoa (eu-ator), sempre em terceira pessoa (o autor/o personagem/o outro).
  • Público: artistas interessados
  • Vagas: 15
  • Carga horária: 40 horas
  • Datas: de 2 a 13 de julho de 2018 – segunda a sexta, das 15h às 19h
  • Custo: gratuito
  • Local: Companhia do Feijão – R. Dr. Teodoro Baima 68 – República
  • Inscrições: até 26 de junho pelo email brecht@companhiadofeijao.com.br, incluindo currículo resumido e carta de interesse
  • Resultados: contato direto com os selecionados e publicação no site (companhiadofeijao.com.br) e facebook da companhia até 29 de junho

A condutora

Laura Brauer é atriz, diretora e professora de interpretação. Formou-se em 2003 no Colégio Superior das Artes do Teatro e da Comunicação (CoSATyC – Argentina). Realizou cursos de clown com Daniel Casablanca e Hernán Gené. Cursou o seminário de “Comedia dell`arte” com Jorge Costa, Técnica Meisner com Yoska Lázaro e Iñaki Moreno. Formou-se em técnicas de “Teatro do Oprimido” com Augusto Boal (Brasil), Jana Sanskriti (India) e Till Baumann (Alemanha) , entre outros. Participou do curso da escola de teatro “Ernst Busch” (Berlim) com a atriz do Berliner Ensemble Carmen Maja Antoni e realizou o workshop de teatro documentário “Theatre and History. History Counts“, com Hans Werner Kroessiger, no Berliner Festspiele (Alemanha). Em 2005, torna-se bolsista da Secretaria de Cultura de la Nación para a investigação sobre técnicas do ator de BERTOLT BRECHT, em Berlim. Sobre a experiência, publica artigos na Revista “El Apuntador” e dá cursos para atores e não atores em Argentina e Brasil. Em 2007, é bolsista da Academia de Arte de Berlim e coordena o projeto “Actuarnos Otros” com base no Teatro do Oprimido. Com o grupo de mesmo nome, vem participando em festivais nacionais e internacionais. Sobre Teatro do Oprimido, deu cursos na Holanda, Portugal, Inglaterra, Brasil e Argentina. Em maio de 2010, recebe bolsa do Instituto Goethe para participar do “Forum Internacional”, em Berlim, no Berliner Festspiele. Em 2011, é convidada pela Secretaria de Cultura de Münster para realizar oficina para multiplicadores de Teatro do Oprimido, a qual desenvolve também em 2012, em Faro, Portugal. Como atriz, participa de diferentes peças em Buenos Aires, Berlim e Londres, entre elas, no grupo Des Armadero Teatro (prêmios de melhor peça e melhor atriz no Festival La Tigra – Chaco, com a peça “Objeto Mujer”). Em Berlim, atua no projeto TuSch, no teatro HAU 2, entre outros. Atua no Festival “CASA Latin American Theatre Festival”, em Londres, onde é artista associada. Em São Paulo realizou a peça “Potestad” junto a Celso Frateschi e com direção de Pedro Mantovani. Participou ainda da filmagem de “Opera dos Vivos”, com a Companhia do Latão, e do filme “Sem Raiz” de Renán Rovida. Respeito de trabalhos de Teatro do Oprimido, trabalhou em prisões, escolas, centros culturais e de bairros ao longo de oito anos. O Grupo que dirigiu trabalhou com a proposta fazendo apresentações na Argentina e participando de encontros internacionais. A respeito de trabalhos sobre B.Brecht participou da montagem de “Baal” em Berlim, na “Ernst Busch Schauspielschule” e em Buenos Aires de “Terror e Miséria do Terceiro Reich”; ”A exceção e a regra”; “Lux in Tenebris” e “Quanto custa o ferro?”. Atuou em “Santa Juana de los Mataderos” dirigida por Pedro Mantovani, adaptou e dirigiu “A compra do latão”, e adaptou e coordenou o projeto cénico da peça “A boa alma de Sezuan“. Organizou junto a seu grupo o I e II Encontro Internacional sobre “A POSSÍVEL ATUALIDADE DE BRECHT”, em 2012 e 2014 em Buenos Aires. Em São Paulo, é professora na Escola Livre de Teatro de Santo André e na UFABC e de cursos independentes sobre as propostas do Brecht e de Boal para atores e não atores.

Realização: Companhia do Feijão / Cooperativa Paulista de Teatro / Programa Municipal de Fomento ao Tetro para a Cidade de São Paulo / Prefeitura de São Paulo – Cultura

Este projeto foi contemplado pela 31ª edição do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Para outras informações escreva para feijao@companhiadofeijao.com.br .