curso sobre ATUAÇÃO e MONTAGEM no Teatro de Bertolt Brecht – com Laura Brauer

Recebemos em nosso espaço a partir de abril o Curso sobre ATUAÇÃO e MONTAGEM no Teatro de Bertolt Brecht, conduzido pela atriz, diretora e professora de interpretação argentina Laura Brauer.

SOBRE O CURSO

Trata-se de um curso anual dividido em módulos. A divisão em módulos possibilita a participação tanto em um, como em dois ou nos três módulos, dependendo do interesse, das possibilidades e do grau de experiência com o tema.

Podem participar do curso pessoas interessadas de qualquer área com ou sem experiência teatral.

MÓDULO I: Aproximação ao distanciamento

Propõe-se uma primeira abordagem teórica e prática em torno das propostas de Bertolt Brecht para o teatro. Essas propostas serão apresentadas num percurso histórico, para conhecê-las inseridas no seu contexto. Os exercícios serão feitos como tentativas de compreender a metodologia de trabalho do ator neste tipo de teatro.

O objetivo é gerar um espaço para a reflexão e ação conjunta a partir das propostas teatrais de teatro épico e teatro didático. O espaço pretende possibilitar aos participantes interações que coloquem ao ator como verdadeiro interlocutor do espectador. Para isso será fundamental se perguntar: Um teatro para quem? Para quê?

Atividades

Exercícios práticos atorais. Encenações que estimulam o pensamento crítico. Diálogo ator-personagem. Pensamento crítico em cena. Trabalho para evidenciar contradições. Debate e problematização em torno das temáticas tratadas. Observação crítica e análise. Aproximação com o material teórico, audiovisual e fotográfico.

Conteúdo

Introdução. A dramaturgia dialética/ A cena dialética./ A atuação dialética./ A observação da realidade. O que é útil observar? / Enunciação da ação./ O sentido do texto.

Teatro didático ou teatro de aprendizagem: O que é?/ Como surge? Em que medida é útil hoje? / O que se quer ensinar?/ Exploração de meios e estratégias para conseguir dar leitura em cena daquilo que se escolhe.

Teatro épico. O que é?/ Como surge? Em que medida é útil hoje? / Abordagens rumo a um teatro dialético: Busca do ponto de vista “historicizante”./ Busca do ponto de vista da encenação./ Conscientização e desnaturalização das formas de representação habituais./ Análise da caracterização./ Como desdobrar a contradição./ Distanciamento: Estratégias e métodos possíveis para consegui-lo.

  • Público: Pessoas interessadas.
  • Datas: 3 de abril – 19 de junho / quartas, das 14h às 18h. (12 encontros)

MODULO II: Simulacro de montagem

Propõe-se a abordagem de um ou dois textos dramatúrgicos de Bertolt Brecht para fazer de conta que o montaremos.

O objetivo é montar cenas avulsas de uma ou duas peças do dramaturgo alemão para entender os processos possíveis de montagem de um material que trabalha com a dialética em cena.

Atividades

Leitura do material. Análise crítica do material textual. Exercícios práticos atorais. Exercícios desde o ponto de vista do encenador propostos pelo Berliner Ensemble para abordar o material cênico. Montagem com texto decorado dos quadros e cenas da peça. Debate e problematização em torno das temáticas tratadas. Observação crítica e análise. Aproximação com o material teórico e fotográfico.

Conteúdo

Passos para uma montagem segundo o Berliner Ensemble: Análise e compreensão dos mesmos para exercitar o caminho para uma encenação.

Montagem de quadros: Escolhas do universo a ser representado. Divisão dos quadros em relação ao texto.

Montagem de cenas: Escolhas em ação.

  • Público: Pessoas interessadas com conhecimento prévio ou experiências anteriores similares ao curso do Módulo I.
  • Datas: Oito encontros semanais de quatro horas – Datas a confirmar (AGOSTO-SETEMBRO)

MODULO III: Montagem para apresentação pública

A partir do trabalho realizado no Módulo II se escolherá material textual e cênico para realizar uma apresentação pública que possibilite debates frutíferos tanto em torno dos conteúdos do material como em torno das formas de representação do mesmo.

O intuito é buscar o sentido do discurso para a sua realização, fazer do palco um reflexo que permita um olhar crítico e preparar cada cena para que daí advenha à análise e desta forma construir um teatro crítico que dialogue e não um que “diga”, que esteja à frente e não atrás de seu público.

Atividades

Trabalho de observação. Procura de referências. Escolhas. Trabalho de atuação em cena. Trabalho de montagem. Diálogo com os observadores.

Conteúdo

Montagem de cenas: Escolhas e estratégias para conseguir dar leitura ao sentido escolhido. Escolhas e estratégias para que a relação imagem-texto produza um sentido não dado por elas separadamente.

  • Público: Pessoas interessadas com conhecimento prévio ou experiências anteriores similares ao curso do Módulo I e II.
  • Datas: Oito encontros semanais de quatro horas – Datas a confirmar (OUTUBRO-NOVEMBRO)

INFORMAÇÕES PARA OS TRÊS MÓDULOS

  • Custo: 200 reais por mês. / Desconto para estudantes e bolsas. / Perguntar.
  • Local: Companhia do Feijão – R. Dr. Teodoro Baima 68 – República
  • Inscrições: Por e-mail com Currículo e carta de interesse no e-mail: CURSOBRECHT@GMAIL.COM

Sobre a condutora

Laura Brauer é uma atriz, diretora e professora de interpretação argentina. Especializou-se em Teatro Político. Estudou “Teatro do Oprimido” com Augusto Boal (Brasil) e Jana Sanskriti (Índia) e estudou Metodologia do trabalho do ator e do encenador brechtiano em Berlim entre 2006 e 2018.

Em Berlim participou de cursos de atuação e de direção da Escola de Teatro “Ernst Busch” e realizou experiências de teatro documentário no Berliner Festspiele. Foi bolsista da Secretaria de Cultura de la Nación Argentina, da Academia de Arte de Berlim, do Goethe Institut e do ITI (International Theataer Institut) para seus estudos e práticas de Brecht e Boal em Alemanha. Respeito de trabalhos de Teatro do Oprimido trabalhou em prisões, escolas, centros culturais e de bairros ao longo de oito anos na Holanda, Portugal, Inglaterra, Brasil e Argentina.

A respeito de trabalhos sobre B.Brecht participou da montagem de “Baal”,“Terror e Miséria do Terceiro Reich”; ”A exceção e a regra”; “Lux in Tenebris” e “Quanto custa o ferro?”. Atuou em “Santa Juana de los Mataderos”, adaptou e dirigiu “A compra do latão”, e adaptou e coordenou o projeto cênico da peça “A boa alma de Sezuan“. Organizou junto a seu grupo o I e II Encontro Internacional sobre “A possível atualidade de Brecht”, em 2012 e 2014 em Buenos Aires.

Em São Paulo, é professora na Escola Livre de Teatro de Santo André e de cursos independentes sobre as propostas do Brecht e de Boal para atores e não atores. Como atriz, participa de diferentes peças em Buenos Aires, Berlim e Londres. Em São Paulo realizou a peça “Potestad”, da filmagem de “Ópera dos Vivos”, com a Companhia do Latão, e do filme “Sem Raiz” de Renán Rovida entre outros.

Esta entrada foi publicada em Atividades de formação e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.